A indústria de estruturas metálicas, amplamente difundida em países como Estados Unidos, Reino Unido e Alemanha há décadas, vem apresentando um expressivo crescimento no Brasil nos últimos anos. O consumo de aço destinado às estruturas metálicas passou de 324 mil toneladas em 2002 para 1,6 milhão de toneladas em 2009, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e os desembolsos do BNDES destinados a empresas do setor saltaram de cerca de R$ 6 milhões em 2001 para mais de R$ 156 milhões em 2010.

Outro indício do forte aquecimento da demanda brasileira por estruturas metálicas é a reversão recente do saldo da balança comercial desse setor, que saiu de um quadro sempre superavitário entre 2001 e 2009 para um resultado deficitário em 2010, déficit este que, segundo os números de 2011, tende a se aprofundar.

A utilização de estruturas metálicas está intrinsecamente ligada ao setor da construção civil. Ao encontrar um ambiente de crescimento econômico no qual esse setor sobressai como um dos mais dinâmicos, explica-se o bom desempenho recente dessa indústria ainda pouco estudada no Brasil, mas já consolidada em várias outras partes do mundo.

Nessa perspectiva, o texto procura expor o quadro atual da indústria de estruturas metálicas, especificamente o segmento de perfis e tubos para estruturas, com ênfase no caso brasileiro, no período entre 2001 e 2010. A escolha desse segmento, em particular, deve-se a sua importância, como método construtivo para edificações comerciais e residênciais e para a construção pesada.

Depois de uma breve caracterização da cadeia produtiva no Brasil, o ar-tigo traz, na terceira seção, informações sobre a indústria no país, incluindo seu padrão de concorrência. A quarta seção aborda a atuação do BNDES nos últimos anos, e a quinta apresenta os maiores playersdo cenário mundial. A seção seguinte dedica-se ao panorama do comércio internacional brasileiro. A atuação do BNDES como fonte de financiamento ao investimento e os principais desafios a serem enfrentados pelas empresas dessa indústria são tratados na sétima seção. Se forem confirmadas, ainda que parcialmente, as expectativas atuais da maior parte dos analistas para a economia brasileira na década de 2010, a evolução observada nos últimos dez anos na indústria nacional de estruturas metálicas tende a sofrer alguma aceleração, impac-tando positivamente seus investimentos, podendo chegar a R$ 1,5 bilhão no triênio 2012-2014. Por fim, a última seção expõe as conclusões.

Fonte: RG3 Consultoria 

WhatsApp Chat
Enviar via WhatsApp